LINHA E ARQUÉTIPO DAS CRIANÇAS

Por Rodrigo Queiroz
Ditado por Pai Zuluá de Aruanda

Na Sua imensa Sabedoria e Perfeição, Olorum através dos Mestres Iluminados ao idealizarem a Umbanda como caminho ao seu encontro não esqueceu das crianças. Seres infantis que vivem no astral e no físico. Preocupados com a formação dos pequeninos encarnados, que precisam desde tenra idade ser envolvidos pela consciência de evolução e transcendência da alma é que se formou no astral de Umbanda, uma estrutura complexa de suporte aos encarnados, a linhas das crianças ou dos Erês como é comumente conhecido.
Neste “agrupamento” agrega-se duas classes de espíritos. Um é a situação de espíritos que saem do quinto plano da evolução para encarnar pela primeira vez e por algum motivo acaba retornando ao plano espiritual ainda na fase infantil. Como a sua estrutura mental não configurou a fase adulta, pois não a alcançou neste novo estágio então manter-se-á infantil até que novo reencarne ocorra e possa este espírito vivenciar todas as fases da experiência “vida terrena”. Porém até que isso ocorra este espírito vêm para uma colônia dar continuidade a outras atividades, podendo muitos interagir com os encarnados através da mediunidade. Como são infantis e não tiveram o acesso aos “vícios e paixões” terrenos então ainda se mantêm puros energeticamente facilitando o trabalho espiritual típico desta linha que é a cura e a limpeza psíquica, este último é uma habilidade “exclusiva” desta linha. São habilidosos ao tratar da estrutura forma pensamento negativa. Para concluir este primeiro ponto deixo reforçado que estes são espíritos humanos que desencarnaram crianças na sua primeira encarnação.
Uma outra presença mais massiva é a dos Encantados, ou seja, espíritos da quinta dimensão que não encarnaram e não são da natureza humana e sim encantados. Estes seres é que compõem o maior número de entidades que se manifestam nos terreiros como crianças e são mesmo, pois são espíritos infantis do reino encantado. Que se preparam exaustivamente para interagirem com os encarnados. No entanto muitas situações da realidade humana estes seres não compreendem e não participam e tampouco entendem sentimentos viciosos dos humanos. Estes interagem com os encarnados pois focam primeiramente as crianças encarnadas, por uma questão de afinidade natural e depois é que vão se preocupar com os adultos. Sua energia é puríssima, pois na realidade em que vivem não existe estes infinitos cruzamentos energéticos como na dimensão humana.
Os encantados se dividem entre os quatro elementos primários que é: terra, ar, fogo e água. É perceptível isso quando incorporados, pois percebemos nos infantis da terra uma postura mais sisuda, nos do fogo uns verdadeiros espoletas, nos do ar bastante brincalhões e nos da água são chorões e de certa forma manhosos.
Logo, o arquétipo desta linha de trabalho é a criança, oferecendo desta forma um campo fértil para o desenvolvimento da fé nas crianças terrenas, pois quando crescerem e saírem da faixa infantil esta linha já não lhe atrairá tanto, no entanto a semente da espiritualidade estará lá plantada e germinando uma frondosa árvore no caminho da evolução espiritual.
Não esqueça Umbandista, a religião oferece uma estrutura perfeita de crescimento, explore melhor a linha das crianças e garanta o futuro iluminado da Umbanda.
Salve as Crianças!
Saravá!

Nota do Médium: Salve Pai Zuluá que neste objetivo discurso nos apresenta com clareza a realidade sobre esta linha. Há quem pregue que as crianças na Umbanda seria espíritos adultos que tomam a forma infantil para interagir demonstrando a inocência e a alegria de viver. E percebemos agora que isso é um contra senso, oras, como podemos manifestar a inocência sem tê-la verdadeiramente em nós? Então o que vale é o fingimento? O fazer de conta que é? Qual propósito final? Pois é, perguntas e mais perguntas. E este texto apresenta que na Criação não tem faz de conta e no plano espiritual não existe falsetas, ou é ou não é. Assim, viva as crianças! Cuidemos de nossas crianças e vamos garantir não só o futuro da religião bem como da humanidade.
Salve Zezinho!

Assentamento:
– Brinquedos;
– Cesta de vime;
– Doces;
– 01 vela sete dias bicolor Rosa/Azul Claro;
– 07 punhos de fita de cetim (branco, rosa, verde, marrom, vermelho, lilás, azul claro);
– Incenso de flores;
– Refrigerante;
Dentro da cesta coloque os brinquedos e doces, na alça amarre as fitas uma ao lado da outra. Num copo coloque o refrigerante. Acenda a vela e o incenso. Peça alegria, paz e saúde. Toda semana acenda uma vela bicolor e renove o refrigerante.

Oração de assentamento:
“Divino Criador, Divinas Forças Naturais, Divinos Orixás, neste momento vos evoco e peço que imante este assentamento, consagre e o torne um portal por onde as Crianças do astral possa se manifestar, servindo de minha proteção e chave de acesso aos encantados de acordo com o meu merecimento. Peço que a força dos infantis esteja presente e receba minhas vibrações.”
Ps.: Este é um assentamento universal para a linha de Crianças, que pode ser consagrado a um Criança específica ou deixar aberta de forma universal.
Faça isto com fé e amor, terá ótimos resultados.
Eni beji!

Fonte: este texto faz parte da apostila que compõe o material de estudos do curso Arquétipos da Umbanda, desenvolvido e ministrado por Rodrigo Queiroz.

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “LINHA E ARQUÉTIPO DAS CRIANÇAS

  1. Anonymous

    ola rodrigo por favor quero saber o final do texto firmeza do terreiro obrigado

  2. Camila Ribeiro

    Lindo texto sobre essa linha
    tantas vezes descrente aos
    olhos de variás pessoas
    é tão essencial na umbanda
    e de tanta importância
    realizam trabalhos de limpeza
    psíquica de desequilibrios
    pessoais!e muitos ainda não
    dão valor no trabalho realizado!
    “Que á pureza dessas crianças
    desvendem os olhos dos cegos de
    preconceitos”
    Salve as Crianças!!!
    Salve os Erês!!!
    Eni Beji!!!

  3. Anonymous

    “Eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida e é bonita”

    Como não se render a um sorriso, a uma gargalhada, a um choro… Inocentes, puras em seus pensamentos e ações, donas da verdadeira alegria! Devemos muito mais que educá-las, devemos aprender com as crianças!!!
    Belo texto, mais uma vez com novidades, “limpeza psíquica”, nos mostrando então que entre brincadeiras e doces, desenvolvem um belo e sério trabalho, ao contrário do que muitos pensam.
    Mas uma pétala insubstituível da imensa flor que se forma as Linhas de Umbanda!
    Salve as Crianças!!!
    Salve os Erês!!!
    Salve Pai Zuluá de Aruanda!!!

  4. Adriana

    Amor,
    Salve Pai Zuluá!!!!!!
    Estou amando os arquétipos da Umbanda, porque cada linha que vc comenta, fica muito tão claro de como entender eles. Inclusive falar das crianças, é muito bom, maravilhoso. Eles passam uma energia muita boa para nós que é de pura inocência mesmo. A pureza deles nos encantam.
    Bom, se deixar tenho muito mais para falar, ainda mais quando temos um amor muito grande por eles.
    Salve as crianças!!!!
    Salve os Erês!!!!
    Eni Beji!!
    *Parabéns por mais um texto que nos acrescenta e faz com que nosso espírito evolua mais e mais.
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s